Curso do FGV EESP Clear reúne quase cem participantes interessados em aprender sobre avaliação executiva

Curso do FGV EESP Clear reúne quase cem participantes interessados em aprender sobre avaliação executiva

O curso de Avaliação Executiva, realizado entre o final de novembro e o início de dezembro de 2021, reuniu cerca de cem participantes, entre gestores públicos, acadêmicos e representantes de organizações da sociedade civil de Angola, Brasil, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Moçambique. O curso é uma das etapas da Convocatória de Avaliação Executiva, lançada em outubro pelo FGV EESP Clear para apoiar gestores na adoção deste tipo de avaliação e promover o uso da avaliação e das evidências para alcançar as metas da Agenda 2030. 

O curso teve quatro encontros, totalizando oito horas de formação em conceitos introdutórios de avaliação executiva – modalidade também conhecida como avaliação rápida. Os participantes também aprenderam sobre  métodos de coleta de dados, como fazer uso das recomendações obtidas com a avaliação executiva, e viram modelos de aplicação deste tipo de avaliação por governos nacionais e subnacionais. 

Participantes e equipe do FGV EESP Clear durante curso online de Avaliação Executiva.

“A avaliação executiva será fundamental no meu trabalho porque fui destacada para iniciar o processo de avaliação dos instrumentos de gestão do território [de Cabo Verde]. Ela vai nos permitir, de forma célere e sem muitos recursos financeiros e humanos, fazer uma avaliação geral do sistema de gestão territorial, emitindo orientações em relação ao que deve ser melhorado ou evitado, bem como a necessidade ou não de avaliações mais específicas”, explicou Ivete Ferreira, Responsável da Unidade de Investigação, Estudos e Inovação do Instituto Nacional de Gestão do Território (INGT) de Cabo Verde. 

Camila Costa Magalhães, pesquisadora do FGV EESP Clear LAB e uma das responsáveis pela construção e facilitação do curso, destacou o caráter prático da atividade e a interação entre os participantes. “Eu diria que a participação e interação dos alunos foi até superior ao que esperávamos – além do grande número de alunos presentes nos quatro dias de curso, houve grande engajamento na troca de experiências entre os participantes”, disse. 

Nereno Jussar, Oficial de Monitoria e Avaliação na Direcção Nacional de Monitoria e Avaliação do Ministério da Economia e Finanças de Moçambique, considerou que o conteúdo aprendido no curso “vai permitir identificar o grau de comprometimento e a viabilidade da implantação de políticas públicas dos governos em todos os níveis, apurando a eficiência e eficácia dos processos e princípios que norteiam a implementação das políticas nacionais”. “Participar do curso de Avaliação Executiva constituiu um valor extremamente positivo para a minha actuação profissional”, concluiu. 

“Para nós da Prefeitura de Niterói, poder participar desta iniciativa do FGV EESP Clear contribuirá para o fortalecimento da cultura de avaliação entre nossos gestores”, compartilhou Jorge Teles, Diretor de Avaliação de Políticas Públicas da Prefeitura de Niterói (RJ). “Com os conhecimentos obtidos no curso realizado, iremos estruturar os planos de avaliação executiva dos projetos Poupança Escola, Moeda Social Arariboia e Niterói Jovem Eco Social em Niterói. Os resultados servirão como subsídios para aperfeiçoar as decisões quanto à expansão desses projetos já em 2022”, completou. 

A última aula do curso focou na elaboração do Plano de Avaliação, requisito para a etapa seguinte da Convocatória. Ele consiste na organização de informações relevantes para o planejamento da avaliação executiva. O plano será considerado na seleção dos órgãos públicos aptos a receber assistência técnica individualizada para as políticas públicas inscritas. 

A Convocatória de Avaliação Executiva 

A Convocatória de Avaliação Executiva proporcionará assessoria a órgãos da administração pública interessados em realizar avaliações executivas, por meio de curso online e atividades de mentoria/assessoria com três organizações selecionadas. A Convocatória visa fortalecer competências avaliativas e a cultura de políticas públicas orientadas por evidências, bem como promover iniciativas de avaliação associadas à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Comentários