Eventos na gLocal 2020 mostram como tecnologias auxiliam Monitoramento e Avaliação

Eventos na gLocal 2020 mostram como tecnologias auxiliam Monitoramento e Avaliação

Tecnologia Foto Capa

Novas tecnologias apresentam oportunidades para inovação e aprimoramento dos trabalhos de profissionais e pesquisadores do Monitoramento e Avaliação (M&A), mas o acesso a elas pode ser um desafio. Muitas vezes, há dúvidas sobre o propósito, as possibilidades de aplicação e o próprio uso destes instrumentos. Durante a Semana de Avaliação gLocal 2020, as tecnologias para o M&A foram destaque: diferentes eventos trouxeram abordagens de especialistas sobre esse tema e propiciaram, aos participantes, espaços para aprenderem e tirarem dúvidas sobre diferentes ferramentas.

O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) ofereceu curso sobre a aplicação do Machine Learning na avaliação de políticas públicas. Frequentemente traduzido para o português como “aprendizado de máquina”, este conceito abarca técnicas estatísticas e computacionais para fazer previsões e permite que algoritmos melhorem sua performance a partir dos dados. O método possibilita que os computadores “aprendam” ao longo do processo o que não era inicialmente conhecido.

Tecnologias Foto 1

Rafael Barros Barbosa, pesquisador do Laboratório de Análise de Dados e Economia da Educação (educLAB) da Universidade Federal do Ceará (UFC), explicou na atividade o que é o Machine Learning, além de mostrar exemplos da aplicação do método e como ele pode ajudar na avaliação de políticas públicas.

“O que o método de Machine Learning faz é melhorar a previsão e, melhorando essa previsão, possibilita uma tomada de decisão melhor”, explicou Barbosa. O evento foi feito em duas partes, cada uma com 4 horas de duração. Você pode acompanhar a primeira aqui e a segunda, aqui.

Outro curso oferecido pelo Ipece na gLocal tratou da avaliação de políticas públicas com uso de modelos computacionais macroeconômicos. Foram apresentadas duas práticas que podem ser usadas para a avaliação dos impactos de políticas públicas em escala macroeconômica: os Modelos de Equilíbrio Geral Computável e as Análises de Insumo Produto.

Ambas são usadas principalmente na avaliação de políticas fiscais e tributárias, além de estratégias alternativas de desenvolvimento e crescimento econômico, assim como análises de problemas setoriais e suas ligações com o restante da economia. O curso foi ministrado por Christiano Penna, professor da UFC e integrante do Observatório do Federalismo Brasileiro da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) do Ceará. A atividade também foi dividida em duas partes: aqui você pode acessar o a primeira e a segunda.

Tecnologias Foto 2

O grupo de Jovens Avaliadores da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação (RBMA) organizou um evento para debater como as novas tecnologias têm sido usadas na avaliação de políticas públicas e projetos de desenvolvimento. Em diferentes apresentações, especialistas no assunto discutiram o uso de softwares como o MaxQda, utilizado para análise de dados em pesquisas acadêmicas, científicas e comerciais.

Foram mostradas também as possibilidades de aplicações de softwares livres para análise quantitativa de dados. Um destes é o R, criado ainda no início dos anos 1990 na Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, e que consiste em uma linguagem de programação voltada ao manuseio, análise e apresentação de dados. A última mesa discutiu, especificamente, estratégias de visualização de dados como forma de tornar indicadores mais atrativos.

Comentários