Autor:

"André Portela de Souza"

A resposta da proteção social à COVID-19 no Brasil

Artigo publicado na Série de Documentos de Política | COVID19 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Este artigo descreve a rede de proteção social brasileira e sua resposta à crise da COVID-19 em termos de cobertura, sustentabilidade fiscal e impacto sobre a pobreza. Traz também a discussão sobre a necessidade de reformular uma rede de proteção que seja eficiente e economicamente viável.

SÍNTESE DE EVIDÊNCIAS – Pandemia de covid-19: o que sabemos sobre os efeitos da interrupção das aulas sobre os resultados educacionais?

Fortemente abalado pela pandemia de covid-19, o setor educacional busca discutir como a interrupção das aulas e da rotina escolar afeta crianças e jovens e quais seriam os possíveis efeitos sobre o aprendizado. Este documento apresenta algumas contribuições para essa discussão. A primeira seção traz um levantamento de evidências científicas sobre os efeitos da interrupção das aulas presenciais sobre duas dimensões de interesse: a proficiência e o abandono escolar dos alunos. Como o ensino remoto tem sido largamente utilizado como uma alternativa, foi também levantada evidência existente sobre sua efetividade no aprendizado. Por fim, são apresentadas evidências recentes dos efeitos da pandemia da covid-19 sobre os resultados educacionais de alunos e alunas em diferentes países. Na segunda seção, são apresentados os resultados de uma simulação, com dados brasileiros, do aprendizado não realizado em 2020. O estudo foi realizado com apoio da Fundação Lemann.

Technical Education, Non-cognitive Skills and Labor Market Outcomes: Experimental Evidence from Brazil

Este artigo descreve os resultados da avaliação de uma política pública que ofereceu bolsas de estudo para estudantes cursando ou que tenham concluído o ensino médio, para que eles pudessem participar de cursos técnicos sem custo. Utilizamos um randomized controlled trial com lista de espera em quatro municípios de um estado do Sul do Brasil (Santa Catarina) para quantificar os efeitos do programa na progressão escolar, mercado de trabalho e habilidades não-cognitivas. Nossas estimativas revelam uma substancial heterogeneidade de gênero dois anos após a conclusão do curso. Mulheres experimentaram maiores ganhos em resultados no mercado de trabalho e habilidades não-cognitivas. A empregabilidade aumentou em 21 pontos percentuais (ou aproximadamente 33%) e os ganhos em remunerações foram de mais de 50%. Além disso, mulheres que receberam a oferta pontuaram 0.5σ a mais no índice sintético de habilidades não-cognitivas e 0.69σ a mais no indicador de extroversão. Não encontramos efeitos na sub-amostra masculina. Estes achados corroboram a evidência de heterogeneidade de gênero nos efeitos de programas educacionais técnicos e vocacionais para o mercado de trabalho. Nós também realizamos uma série de exercícios para explorar potenciais canais através dos quais esses efeitos ocorrem. Acesse o link do Volume 10 do IZA Journal of Labor Economics: https://content.sciendo.com/configurable/contentpage/journals$002fizajole$002f10$002f1$002fizajole.10.issue-1.xml