FGV EESP Clear, governo de Moçambique e Unicef discutem institucionalização da avaliação no país luso-africano

FGV EESP Clear, governo de Moçambique e Unicef discutem institucionalização da avaliação no país luso-africano

O FGV EESP Clear LAB, o Ministério da Economia e Finanças de Moçambique (MEF) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) avançam nos diálogos para a institucionalização do sistema nacional de monitoria e avaliação (M&A) moçambicano. Em março de 2022, Gabriela Lacerda, gerente de Relações Institucionais do FGV EESP Clear LAB, participou em Maputo de diversas reuniões com membros do governo do país e com o Unicef.

A missão foi voltada a discutir o componente de avaliação do subsistema nacional de M&A do país, apresentar a proposta do subsistema de avaliação para a direção do MEF e de outros ministérios e elaborar um plano de ação para os próximos anos. “A nossa contribuição está sendo desenhar uma proposta de governança, instrumentos, prazos e processos para institucionalizar a avaliação no governo de Moçambique”, explicou Gabriela Lacerda.

Reunião entre o Clear e a equipe do governo de Moçambique no início de março de 2022. Foto: Arquivo pessoal.

A proposta elaborada pelo Clear em parceria com o governo moçambicano e o Unicef busca promover a tomada de decisão baseada em evidências, ampliar a avaliação das políticas e programas e promover a cultura de sistematização e análise das informações para uma gestão mais eficiente.

Os encontros do início de março de 2022 foram oportunidade de avançar ainda mais nos diálogos já iniciados a partir de setembro do ano passado, quando foi criado um grupo de trabalho (GT) com representantes de diretorias do MEF e apoio da equipe do FGV EESP Clear LAB e da Unicef. O GT realiza reuniões semanais, tendo feito mais de 14 encontros desde outubro de 2021.

A parceria entre o governo moçambicano, o FGV EESP Clear LAB e o Unicef vem desde 2020, quando foi realizada uma análise sobre o uso de evidências na Revisão Nacional Voluntária (RNV) do país. Ainda naquele ano, foi realizado um diagnóstico das necessidades e capacidades em M&A em Moçambique e uma capacitação sobre uso de evidências no ciclo da política pública com participação de diversos ministérios.

Os próximos passos incluem a construção de um manual de M&A voltado ao contexto de Moçambique, a realização de avaliações piloto de políticas e programas do país e elaboração de guias de avaliação executiva e de avaliação de desenho.

Comentários (1)

  • Fernando Cossa:

    Tive o privilégio de participar no encontro on-line em que o FGV EESP Clear organizou aqui em Moçambique, em 2020. Apresentou o papel e importância sobre o uso de evidência que os sectores devem utilizar no ciclo de planificação.
    Foi uma experiência positiva na medida em que fomos capazes de aprender as várias ferramentas as quais podem ser utilizadas no processo de elaboração de um política pública com base em evidência, sem se descurar igualmente a questão de monitoria e avaliação e a utilização das evidências no processo de diagnóstico dos problemas no quadro da política público, e entre outras abordagens feitas pelos monitores da Clear. Enfim, o curso foi mesmo interessante, e bem haja!

     •  Responder